Beauceron

  • RESUMO HISTÓRICO 


“Cão de Beauce”, “Beauceron” e “Bas-Rouge” foram os nomes escolhidos no fim do século XIX para designar esses antigos cães pastores franceses de planícies, todos do mesmo tipo, com pelo liso na cabeça, pelo duro e curto sobre o corpo, cujas orelhas eram cortadas. O corpo tinha marcações vermelhas, notadamente nas extremidades das quatro patas, razão pela qual os criadores dessa época os chamavam de “Bas Rouge” (meias vermelhas). A pelagem era preta e fogo, mas existiam também cães cinza ou inteiramente pretos, e mesmo inteiramente fulvos. Esses cães foram criados e selecionados por suas aptidões na condução e guarda das manadas de gado.
 

País de Origem: França.
 

APARÊNCIA GERAL: O Beauceron é um cão de grande porte, sólido, rústico, possante, bem construído e musculoso, sem ser pesado.
 

PROPORÇÕES IMPORTANTES: É um cão mediolíneo. O comprimento do corpo, da ponta do ombro até a ponta da nádega deve ser ligeiramente superior à altura na cernelha. A cabeça é longa: 2/5 da altura na cernelha. A largura do crânio e a altura da cabeça são ligeiramente inferiores à metade do comprimento da cabeça. O crânio e o focinho são do mesmo comprimento.

 

COMPORTAMENTO E TEMPERAMENTO: Cão de aproximação franca e sem medo. A expressão é sincera, jamais brava, nem medrosa, nem irrequieta. O temperamento do Beauceron deve ser gentil e sem medo.

 

CABEÇA: A cabeça é bem cinzelada, com linhas harmoniosas. Vistas de perfil, as linhas do crânio e do focinho são sensivelmente paralelas.

  • REGIÃO CRANIANA

 

Crânio: Plano ou ligeiramente arredondado de um lado a outro. O sulco mediano é pouco marcado. A crista occipital é aparente no alto do crânio.

 

Stop: Pouco marcado, de igual distância do occipital à extremidade do focinho.

 

  • REGIÃO FACIAL

Trufa: Proporcional ao focinho, bem desenvolvida, jamais rachada e sempre preta.

Focinho: Nem estreito, nem pontudo.
 

Lábios: Firmes e sempre bem pigmentados. O lábio superior deve cobrir o lábio inferior sem flacidez. Na sua comissura, os lábios devem formar um ligeiro começo de bolsa que deve ficar fechado.

Maxilares e Dentes: Dentição forte, articulação em tesoura.

Olhos: Horizontais, de forma ligeiramente ovais. A íris deve ser marrom escura, nunca mais clara do que avelã escuro, mesmo se as manchas vermelhas forem claras. Para a variedade arlequim, olhos porcelanizados são permitidos.

Orelhas: Inseridas altas. As orelhas são semi-eretas ou pendentes. Não devem ser coladas junto às bochechas. Elas se apresentam planas e bastante curtas. O comprimento da orelha deve ser igual à metade do comprimento da cabeça.

PESCOÇO: Bem musculoso, de bom comprimento, inserido harmoniosamente nos ombros.

  • TRONCO

Linha Superior: O dorso é reto. O lombo é curto, largo e bem musculoso. A garupa é pouco inclinada

Cernelha: Bem marcada.

 

Peito: O perímetro torácico ultrapassa a altura na cernelha de mais de 1/5. O peito atinge até a ponta do cotovelo. Ele é largo, alto e longo.
 

CAUDA: Inteira, portada baixa, ela desce até a ponta do jarrete, sem desviar, formando uma ligeira curva em forma de J. Em ação, a cauda pode ser portada mais alta, no prolongamento da linha superior .

 

  • MEMBROS

 

ANTERIORES: Bem aprumados, vistos de frente e de perfil.

Ombros: Oblíquos e moderadamente longos.

Antebraços: Musculosos

 

Patas: Fortes, redondas, compactas. As unhas são sempre pretas. As almofadas são duras, porém elásticas.

 

POSTERIORES: Fortes, descidos, não muito próximos do solo; a ponta se situa mais ou menos a 1/4 da altura do cão na cernelha, formando com a perna um ângulo bem aberto. Os metatarsos são quase verticais, ligeiramente para trás da ponta da nádega.
 

Jarretes: Fortes, descidos, não muito próximos do solo; a ponta se situa mais ou menos a 1/4 da altura do cão na cernelha, formando com a perna um ângulo bem aberto. Os metatarsos são quase verticais, ligeiramente para trás da ponta da nádega.

Patas: Fortes, redondas, compactas

MOVIMENTAÇÃO: Flexível e livre. Os membros ficam bem alinhados. O Pastor de Beauce deve ter um trote alongado com uma boa amplitude de movimento.

 

  • PELAGEM

 

Pelo: Raso sobre a cabeça; forte, curto, grosso, firme e deitado sobre o corpo, de 3 a 4 cm de comprimento. As nádegas e a parte inferior da cauda são ligeiramente, mas obrigatoriamente, franjadas. Subpelo curto, fino, denso e felpudo, de preferência cinza-rato, muito fechado e não aparece através do pelo de cobertura.

  • COR

 

  1. Preto e fogo (preto marcado de fulvo): Bas Rouges. A cor preta é o puro preto, as manchas vermelhas devem ser da cor do esquilo. As marcações fogo ou vermelhas são distribuídas da seguinte maneira:
    • Pequenas manchas acima dos olhos.

    • Nas laterais do focinho, diminuindo progressivamente nas bochechas sem jamais atingir a parte debaixo das orelhas.
    • No peito, duas manchas são preferidas. 
    • Na garganta.
    • Sob a cauda.
    • Sobre os membros, desfazendo-se progressivamente para cima, sem, todavia, cobrir mais de 1/3 do membro, subindo um pouco mais na parte interior dos membros.

     

  2. Arlequim (azul mosqueado com fulvo): Cinza, preto e fogo; a pelagem é dividida em partes iguais de cinza e preto, as manchas sendo bem distribuídas com, às vezes, mais preto do que cinza. Mesma distribuição das manchas fogo que na variedade preto e fogo. Uma discreta mancha branca no peito é tolerada.
     

TAMANHO: Machos: 65 a 70 cm.

                      Fêmeas: 61 a 68 cm.

  • FALTAS 

 

Qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem estar do cão.

 

  • FALTAS DESQUALIFICANTES
     

• Agressividade ou timidez excessiva.

•Todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.

• Tamanho ultrapassando os limites do padrão.

• Ossatura muito leve.

• Olhos muito claros ou gázeos (menos para os arlequins).

• Trufa fendida; de outra cor senão o preto; despigmentada .

• Prognatismo com perda de contato; ausência de 3 dentes ou mais (os P1 não são levados em consideração). • Orelhas naturais, totalmente retas e firmes.

• Membros posteriores excessivamente para fora.

• Ergôs simples ou ausência total de ergôs nos membros posteriores.

• Cauda cortada ou enrolada sobre o dorso.

• Pelagem: Cor e textura além das definidas pelo padrão. Ausência total de manchas fogo. Pelo eriçado. Nítida mancha branca, bem visível no peito. Variedade arlequim: Cinza demais, preto de um lado, cinza do outro, cabeça totalmente cinza (ausência de preto).

  • NOTAS

 

• Os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos e acomodados na bolsa escrotal.

• Somente os cães clinicamente e funcionalmente saudáveis e com conformação típica da raça deveriam ser usados para a reprodução.

Reconhecimento Internacional:

Entidade sem fins lucrativos

CNPJ 26.249.262/0001-88

  • Grey Facebook Icon
  • Veja

Patrocinadores:

centralotima.png