Cão da Serra da Estrela

APARÊNCIA GERAL: Cão grande, mastife do tipo molossóide. Existem duas variedades de pelo: longo e curto. Rústico, substancial, com movimentação vivaz e atitude imponente. A raça tem um olhar vivo, calmo e expressivo; bem proporcionado; bem construído e com uma aparência harmoniosa, que é como tradicionalmente a raça tem sido reconhecida ao longo do tempo.
 

Personalidade: Guardião e dócil.
 

Nível de energia: Muito Ativo. Este cão é ativo e enérgico, e precisa de exercícios diários. 
 

Bom com crianças: Sim.

 

Bom com outros cães: Com supervisão.

 

Grooming: Sazonal.

 

Expectativa de vida: 10-12 anos.

Nível de latido: Late quando necessário.

  • RESUMO HISTÓRICO 

Desde épocas remotas, este cão desenvolveu-se e fixou-se na região da Serra da Estrela (altas montanhas no Norte de Portugal), tendo-se perdido no tempo a seu verdadeiro local de origem. Contudo, esta pode ser considerada uma das raças mais antigas da Península Ibérica. Pode ser encontrada desde o pé da Serra até as mais elevadas altitudes (aproximadamente 2000 metros), principalmente no verão, após a neve ter derretido, quando os pastos verdes são muito procurados pelos rebanhos, visto que o calor excessivo resseca os pastos nas planícies. O progressivo reconhecimento de suas atitudes conduziu à sua difusão pelo mundo todo desde a segunda metade do século 20.

País de Origem: Portugal.

COMPORTAMENTO E TEMPERAMENTO: Companhia inseparável dos pastores e fiel guardião dos rebanhos, protegendo-os bravamente de predadores e ladrões. Magnífico guardião de fazenda e casa, desconfiado com estranhos e tipicamente dócil com seus donos.

CABEÇA: Forte, volumosa e longa, ligeiramente convexa quando vista de perfil. Bem inserida e proporcionada ao corpo, com o crânio em boa proporção em relação à face e com todas as partes em perfeita harmonia. Pele lisa no crânio e bochechas.

  • REGIÃO CRANIANA 
     

Crânio:  Bem desenvolvido, arredondado, com ligeira divergência dos eixos crânio faciais longitudinais superiores; perfil convexo, arcadas superciliares levemente desenvolvidas com sulco frontal levemente aparente e crista occipital não proeminente.

 

Stop: Apenas levemente marcado e a distância aproximadamente igual entre a ponta da trufa e crista occipital.

 

  • REGIÃO FACIAL

 

Trufa: Reta e em linha com a cana nasal; narinas bem abertas, largas e pretas.

 

Focinho: Longo, estreitando para a ponta, sem ser pontudo; quase reto e muito levemente convexo na extremidade.

 

Lábios: Bem desenvolvidos, mas não espessos, bem sobrepostos, não pendentes; membranas mucosas da boca, palato e bordas dos lábios intensamente pigmentados de preto.

 

Maxilares e Dentes: Boca bem definida com mandíbulas bem desenvolvidas; dentição completa, com dentes fortes, brancos, bem inseridos e ajustados; mordedura preferivelmente em tesoura, sendo aceitável em torquês.

 

Olhos: De tamanho médio, tendendo para pequenos, de formato oval, nivelados, do mesmo tamanho e bem abertos, com uma expressão calma e inteligente; preferivelmente com cor âmbar escuro. Pálpebras com boa aderência e bordas pretas. Sobrancelhas ligeiramente aparentes.

 

Orelhas: De inserção média; pendentes, inclinadas para trás e caindo lateralmente encostadas à cabeça, com as suas faces internas visíveis (também chamadas de orelhas em rosa); delgadas, triangulares, arredondadas nas pontas; pequenas em comparação ao corpo.

 

PESCOÇO: Curto, reto e grosso; bem inserido e bem conectado aos ombros; com uma leve barbela, não exagerada.

 

  • TRONCO

 

Linha superior: Reta, quase horizontal.

 

Dorso: Preferivelmente curto e bem musculoso.

 

Lombo: Curto, largo, bem musculoso; bem conectado à garupa. 

 

Garupa: Ligeiramente inclinada; curta, larga e musculosa. A altura na garupa deve ser igual ou ligeiramente superior à altura na cernelha.

Peito: Largo, profundo; bem arqueado, mas não em forma de barril; bem descido até o cotovelo ou ligeiramente abaixo deste.

 

Linha inferior e ventre: Deve elevar-se gradualmente, mas de forma suave do esterno à virilha; abdômen pouco volumoso, em proporção à substância do animal e conectando-se harmoniosamente ao seu corpo.

 

CAUDA: De inserção média; comprida, grossa; portada abaixo da horizontal, em forma de cimitarra, com um gancho no final. Com o cão parado, coloca-se naturalmente entre as coxas, chegando pelo menos ao jarrete; quando excitado e em movimento, a cauda eleva-se acima da horizontal, curvando-se para cima e para frente, para os lados e para baixo, sem portá-la sobre a garupa. Deve ser bem guarnecida de pelos, e franjadas nos cães de pelo longo.

 

  • MEMBROS

 

ANTERIORES: Bem aprumados, com forte ossatura e grossas articulações, ângulos moderadamente abertos, com facilidade de movimento.

 

Antebraços: Retos, paralelos, compridos, com forte ossatura e de formato quase cilíndrico.

 

Patas: Proporcionadas, nem muito redondas nem tão alongadas, entre patas de gato e de lebre (não espalmadas); grossas, providas de pelagem abundante entre os dedos justos e as almofadas plantares. Unhas escuras, preferivelmente pretas, bem desenvolvidas; almofadas plantares grossas e duras.

 

POSTERIORES: Bem aprumados, com forte ossatura e grossas articulações, ângulos moderadamente abertos, com facilidade de movimento.

 

Jarretes: Levemente descidos; moderadamente abertos, nem virados para dentro nem para fora.

 

Metatarsos: Verticais, quase cilíndricos. Pode apresentar ergôs únicos ou duplos.

 

Patas: Idênticas às anteriores.

 

  • MOVIMENTAÇÃO: Movimento livre e fácil.

  • PELAGEM

 

Pelo: Forte, muito abundante, ligeiramente grosso, sem aspereza excessiva, com textura semelhante ao pelo da cabra. O subpelo é constituído por pelos finos, curtos, abundantes e entrelaçados, normalmente mais claro que a pelagem de cobertura.

 

• Variedade de pelo longo: Pelo superior liso ou ligeiramente ondulado, desigual em algumas regiões. É curto e mais denso nos membros, abaixo dos cotovelos e jarretes, bem como na cabeça; nas orelhas, diminui de comprimento gradualmente da base para as pontas, tornando-se fina e macia. É mais comprida na cauda, que é farta, grossa e franjada; em volta do pescoço, bordo inferior e nádegas, são abundantemente franjadas, bem como na face posterior dos antebraços.

• Variedade de pelo curto: Pelo curto, uniformemente distribuída pelo corpo todo, levemente mais curta na cabeça e membros, sem franjas.

 

COR: As seguintes cores são admitidas e consideradas típicas:

• Sólidos: Amarelo, fulvo e cinza em todos os tons e intensidades de cor.

• Cinza lobo: Fulvo, tons de amarelo e cinza, comumente em tonalidades claras e escuras.

• Tigrado: Cor básica fulvo, amarelo ou cinza, com listras pretas. Na região crânio-facial, é típica uma máscara preta. Marcas brancas são admitidas apenas nas extremidades das patas anteriores e posteriores e em uma pequena extensão na face ventral do pescoço e peito.

 

TAMANHO: Altura na cernelha: Machos: de 65 a 73 cm. Fêmeas: de 62 a 69 cm. Tolerância de +2 cm.

 

PESO: Machos: 45 - 60kg. Fêmeas: 35 - 45kg.O crânio deve ser plano e de largura moderada, diminuindo gradualmente em largura para os olhos e se estreitando para o focinho.


 

  • FALTAS 

Qualquer desvio em relação a este padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem estar do cão. 

FALTAS DESQUALIFICANTES

 

• Agressividade ou timidez excessiva.

• Todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.

• Cães atípicos.

Reconhecimento Internacional:

Entidade sem fins lucrativos

CNPJ 26.249.262/0001-88

  • Grey Facebook Icon
  • Veja

Patrocinadores:

centralotima.png