Dogue Brasileiro

  • RESUMO HISTÓRICO 
     

Dogue Brasileiro é uma raça de cães criada no Brasil especificamente para a função de cão de guarda. Surgiu no fim da década de 1970 a partir do cruzamento entre Bull terrier e Boxer. Inicialmente nomeada como bull boxer (bull terrier + boxer), o seu criador, Pedro Ribeiro Dantas, deu novo nome à raça para explicitar que se trata de um descendente de molosso (Dogue) e a sua nacionalidade é brasileira.

País de Origem: Brasil.

APARÊNCIA GERAL: Cão de aspecto sólido, maciço e não esgalgado, sem parecer, no entanto, atarracado ou desproporcionalmente pesado. Deve dar impressão de agilidade e força, com músculos muito fortes, longos e marcados, dando a impressão de grande potência e impulsão. Ossos fortes.

COMPORTAMENTO E TEMPERAMENTO: Cão ativo, atento e observador, de expressão séria para estranhos e meiga para com o dono. Equilibrado, apto à disciplina, porém destemido quando provocado ou sob comando. Não deve dar demonstrações gratuitas de agressividade, principalmente diante de outros cães.

 

CABEÇA: De comprimento médio. Relativamente profunda na região craniana. Arco zigomático de largo para médio. A largura do arco zigomático deve sobressair em relação à do focinho, não devendo, no entanto, tal proporção ser exagerada. Linha superior do crânio, vista de frente ou de perfil, ligeiramente convexa. O sulco mediano deve ser visível e a pele da testa ligeiramente franzida, dando ao cão uma expressão séria quando atento. A distância do occipital ao stop em relação a do occipital à ponta do focinho deve ser de 50%. Masséteres relativamente bem pronunciados.
 

  • REGIÃO CRANIANA 
     

Crânio: Relativamente largo.

Stop: Leve, visto de perfil ou de frente.

  • REGIÃO FACIAL

 

Focinho: De comprimento médio, reto, mandíbula bem definida e muito forte, com poderosa potência de mordida.
 

Trufa: Preta ou podendo acompanhar a diluição da cor da pelagem (cão cinza, rajado-azul, isabela ou fígado) - trufas vermelhas cor-de-carne não são admitidas; Bem desenvolvida, com narinas abertas.
 

Maxilares e Dentes:  Fortes, bem alinhados, com fechamento frontal em tesoura ou torquês.

Olhos: Amendoados, do mel ao castanho escuro. Separados. Moderadamente pequenos. Pálpebras ajustadas não devendo mostrar a conjuntiva.


Orelhas:  De inserção ligeiramente acima da linha dos olhos. Operadas, opcionalmente, semi-curtas, em triângulos isósceles. Caso íntegras, deverão ser semi-caídas com caimento fronto-lateral.
 

PESCOÇO: De comprimento médio. Forte, ligeiramente arqueado, engrossando do crânio aos ombros. Levantado, de porte relativamente alto. Desprovido de barbelas.
 

  • TRONCO
     

Linha Superior: Alta na cernelha e descendente para a garupa.

 

Cernelha: Alta, região da cernelha muito musculosa.

Dorso: Relativamente curto.


Peito: Profundo, mas não em excesso (aproximadamente 50% da altura na cernelha).

CAUDA: Grossa. De inserção média, devendo ser portada acima da linha do dorso, quando o cão se movimenta; com postura muito levemente côncava, nessa mesma condição, se vista de frente. Opcionalmente operada, permanecendo o comprimento, neste caso, em, aproximadamente, vinte por cento a mais do que o da cabeça do cão. Se íntegra, oitenta por cento mais longa.
 

  • MEMBROS

 

ANTERIORES: Retos, com ossos retos e arredondados. 

 

Ombros: Fortes e musculosos.

 

Braços: Fortes e musculosos.

 

Carpos: Fortes, com dedos fortes e arqueados.

POSTERIORES: Muito musculosos, fortes, com boa angulação.

Coxas: Muito musculosas.

 

Jarretes: Curtos e corretamente direcionados para frente.

PATAS: De gato.
 

  • MOVIMENTAÇÃO: Deve ser fluente, com força e agilidade. As patas devem se mover paralelamente com boa flexão, inclusive nos joelhos.
     

  • PELAGEM

Pelo: Curta (até 2,5 cm na cernelha) ou média; densa; luzidia e áspera. É aceita, sem restrições, a variedade de pelo médio, não devendo, no entanto o comprimento do pelo, na altura da cernelha, ultrapassar 4,7 cm.

  • COR: Qualquer cor, variação ou combinação de cores são aceitas sem qualquer restrição.
     

TAMANHO: Machos: de 54 a 60 cm (preferencialmente 58 cm). Fêmeas: de 50 a 58 cm (preferencialmente 56 cm).

 

PESO: Machos: de 29 a 43 kg (preferencialmente 39 kg). Fêmeas: de 23 a 39 kg (preferencialmente 33 kg).
 

  • FALTAS 

Qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem estar do cão. 

• Qualquer desproporção, característica exagerada que possa interferir com a atividade física ou habilidade para o trabalho.
• Todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou comportamental deve ser desqualificado

  • NOTAS

 

• Os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos e acomodados na bolsa escrotal.

• Somente os cães clinicamente e funcionalmente saudáveis e com conformação típica da raça deveriam ser usados para a reprodução.

Reconhecimento Internacional:

Entidade sem fins lucrativos

CNPJ 26.249.262/0001-88

  • Grey Facebook Icon
  • Veja

Patrocinadores:

centralotima.png