Husky Siberiano

APARÊNCIA GERAL: O Husky Siberiano é um cão de trabalho, de porte médio; rápido e ligeiro. Seu movimento é fluente e gracioso. Seu corpo moderadamente compacto com pelagem densa; suas orelhas eretas e a cauda em pincel revelam sua herança nórdica. Seu andar característico é suave e aparentemente sem nenhum esforço. Sua performance original, no arreio de trenó, é muito eficiente, transportando cargas leves a uma velocidade moderada, atravessa grandes distâncias. As proporções e as formas de seu corpo refletem esse equilíbrio básico de força, velocidade e resistência. Os machos da raça Husky siberiano são bem masculinos, mas nunca grosseiros; as fêmeas, bem femininas, porém, sem demonstrar fragilidade em sua estrutura. Em condições ideais, com sua musculatura firme e bem desenvolvida, o Husky Siberiano não deve parecer pesado.
 

Personalidade: Atento, alegre e expansivo.
 

Nível de energia: Muito Ativo.
 

Bom com crianças: Sim.

 

Bom com outros cães: Com supervisão.

 

Grooming: Sazonal.

 

Expectativa de vida: 12-15 anos.

Nível de latido: Late quando necessário.

  • RESUMO HISTÓRICO 

Sua origem é desconhecida, mas ele é obviamente do grupo spitz, que evoluiu por centenas de anos como um cão de trenó para esses povos nômades. Durante a corrida do ouro no Alasca, os cães se tornaram parte vital da vida nas regiões do Ártico, e as corridas de cães eram o entretenimento preferido. As corridas de apostas no Alasca, que cobriam mais de 600 km entre Nome e Candle, eram muito populares, e em 1909 os Chukchi trouxeram da Sibéria a primeira equipe de huskies. Menores e mais dóceis do que a maioria dos competidores, eles despertaram pouca admiração, com exceção de um criador, que de tão impressionado, importou 70 cães para treiná-los para a corrida de 1910. Suas três equipes chegaram em primeiro, segundo e quarto lugar, e assim marcaram um momento de incomparável domínio dos Huskies nessa corrida. Ao longo do ano, os cães de mantiveram como puxadores de trenó, mas em 1925 alcançaram seu maior sucesso. Equipes de huskies correram 540 km com soro salva-vidas para a difteria que atingia Nome e foram responsáveis por salvar a cidade. Existe uma estátua em homenagem a esses cães no Central Park. Os primeiros huskies siberianos chegaram ao Canadá e depois aos Estados Unidos por volta dessa época. 

País de Origem: EUA.

COMPORTAMENTO E TEMPERAMENTO: O temperamento característico do Husky Siberiano é amigável, gentil, mas também atento e expansivo. Não demonstra as qualidades possessivas de um cão de guarda, e tampouco é desconfiado com estranhos ou agressivo com outros cães. Algumas atitudes de reserva e dignidade podem ser esperadas de um cão adulto. Sua inteligência, docilidade e disposição o tornam um companheiro agradável e um cão sempre disposto ao trabalho.
 

CABEÇA:

  • REGIÃO CRANIANA 
     

Crânio: De tamanho médio e proporcional ao corpo; ligeiramente arredondado no topo e afilando gradualmente desde seu ponto mais largo em direção aos olhos.
 

Stop: Bem definido.
 

  • REGIÃO FACIAL

 

Trufa: Preta nos exemplares de cor cinza, castanhos ou pretos; fígado nos cães de cor cobre; pode ser de cor de carne em cães branco puro. O “nariz de neve” rajado de rosa é também aceito.

 

Focinho: De tamanho médio e de largura média, afilando gradualmente para a trufa, sem ser pontudo ou quadrado. A cana nasal é reta do stop à ponta do nariz.

 

Lábios: Bem pigmentados e ajustados.

Maxilares e Dentes: Fechando em tesoura.

 

Olhos: Amendoados, moderadamente afastados e sutilmente oblíquos. A cor dos olhos pode ser marrom ou azul; aceitam-se os olhos de cores diferentes ou um olho particolorido. A expressão é penetrante, porém amigável, interessada e até um pouco maliciosa.

 

Orelhas: Tamanho médio, triangulares, de inserção alta e próximas. São espessas e bem revestidas de pelos, levemente arqueadas em sua parte posterior e rigidamente empinadas, com as pontas ligeiramente arredondadas.

 

PESCOÇO: De comprimento médio e portado erguido, orgulhosamente, quando o cão está em stay. No trote, o pescoço se estende de maneira que a cabeça seja portada ligeiramente para a frente.

 

  • TRONCO

 

Dorso: Reto e forte, com a linha superior nivelada desde a cernelha até a garupa. De comprimento médio, sem ser curto ou excessivamente longo.

 

Lombo: É tendido e seco, mais estreito que o tórax e, no ventre, é ligeiramente esgalgado.

 

Garupa: Está inclinada em relação à coluna vertebral, porém, nunca tão inclinada a ponto de comprometer a propulsão dos posteriores.

 

Peito: Profundo e forte, sem ser muito largo; seu ponto mais baixo situa-se logo atrás e no nível dos cotovelos. Costelas bem arqueadas, desde a espinha dorsal, porém, achatando-se nos flancos, de modo a proporcionar liberdade de movimento. 

 

CAUDA: Bem revestida, com a forma da cauda da raposa, e inserida logo abaixo do nível da linha superior. Usualmente portada acima da linha do dorso, fazendo uma graciosa curva em foice, quando o cão está em atenção, sem enrolar para os lados, nem achatar-se sobre o dorso. Em repouso, o normal é a cauda ficar caída. Pelos, de comprimento médio, aproximadamente, do mesmo tamanho em todas as direções, conferindo o aspecto de uma escova redonda.

 

  • MEMBROS

 

ANTERIORES: Vistos de frente, em stay, os membros são moderadamente afastados, paralelos e retos A ossatura é substanciosa, sem ser pesada. O comprimento do membro, do cotovelo ao solo, é ligeiramente maior que a distância do cotovelo à cernelha. Ergôs nos anteriores podem ser removidos.

 

Ombros: A escápula é bem angulada. O braço é ligeiramente oblíquo para trás, desde a ponta do ombro até o cotovelo, e nunca é perpendicular ao solo. Os músculos e os ligamentos que seguram os ombros no tórax são firmes e bem desenvolvidos.

 

Cotovelos: Rentes ao corpo e não virando nem para dentro, nem para fora.

 

Articulação do carpo: Forte e flexível.

 

Metacarpos: Vistos de perfil, estão ligeiramente inclinados.

 

POSTERIORES: Vistos por trás e em “stay”, os membros são paralelos e moderadamente afastados. As coxas são bem musculosas e poderosas; joelhos bem angulados; jarretes curtos com articulações bem definidas. Ergôs devem ser removidos.

 

Patas: De tamanho médio; ovais, sem serem longas; compactas e bem revestidas de pelos entre os dedos e almofadas plantares. As almofadas são bem acolchoadas com a sola resistente. Em “stay”, as patas ficam corretamente direcionadas para a frente.

 

MOVIMENTAÇÃO: A movimentação característica do Husky Siberiano é suave e aparentemente sem esforço. É rápida e ligeira sobre suas patas. Quando apresentado em exposições, deverá sempre ser de guia solta. Mostra um trote moderadamente rápido, exibindo assim um bom alcance nos anteriores e boa propulsão nos posteriores. Quando visto de frente e de trás, enquanto caminha, o Husky Siberiano não converge os membros numa trilha única (single tracking), mas à medida que a velocidade aumenta, os membros convergem gradualmente até que as almofadas plantares pisem sobre uma linha diretamente abaixo do centro longitudinal do corpo. Conforme as pegadas convergem, os anteriores e os posteriores movimentam-se para a frente sem que nem os cotovelos, nem os joelhos virem para dentro ou para fora. Cada membro posterior se move para alcançar a pegada do anterior do mesmo lado. Enquanto o cão está em movimento, a linha superior permanece firme e nivelada.

 

  • PELAGEM

 

Pelo: A pelagem do Husky Siberiano é dupla, de comprimento médio e de aparência bem peluda, mas nunca tão longa a ponto de esconder as linhas bem definidas do cão. O subpelo é macio e denso, de comprimento suficiente para suportar a pelagem de cobertura. Os pelos de cobertura são retos e suavemente assentados, mas nunca ásperos ou eriçados. Deve-se notar que a ausência de subpelos durante a época da muda é normal. É permitido aparar os bigodes e os tufos entre os dedos e ao redor das patas para exibir um aspecto mais limpo. Em qualquer outra parte do cão, a tosa não deve ser tolerada, devendo ser severamente penalizada.

 

COR: Todas as cores são permitidas, desde o preto até o branco puro. É comum uma variedade de marcações na cabeça, incluindo muitas combinações não encontradas em outras raças.

 

TAMANHO: Altura na cernelha: Machos: 53,5 cm a 60 cm. Fêmeas: 50,5 cm a 56 cm.

 

PESO: Machos: 20,5 kg a 28 kg. Fêmeas: 15,5 kg a 23 kg. O peso é proporcional à altura. As medidas mencionadas acima representam os limites extremos de altura e peso, sem dar preferência a nenhum dos extremos. Qualquer aparência de excessiva ossatura ou peso deve ser penalizada.
 

  • FALTAS 

Qualquer desvio em relação a este padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem estar do cão. 

FALTAS DESQUALIFICANTES

 

• Agressividade ou timidez excessiva.

• Todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.

• Cães atípicos.

Reconhecimento Internacional:

Entidade sem fins lucrativos

CNPJ 26.249.262/0001-88

  • Grey Facebook Icon
  • Veja

Patrocinadores:

centralotima.png