Landseer

APARÊNCIA GERAL: O Landseer deve dar a impressão de um cão alto, poderoso e bem equilibrado. As pernas são comparativamente mais longas que as do Terra Nova preto, especialmente nos machos.
 

Personalidade: Companheiro, equilibrado e calmo.
 

Nível de energia: Muito Ativo. Este cão é ativo e enérgico, e precisa de exercícios diários. 
 

Bom com crianças: Sim.

 

Bom com outros cães: Com supervisão.

 

Grooming: Sazonal.

 

Expectativa de vida: 8 -10 anos.

Nível de latido: Late quando necessário.

  • RESUMO HISTÓRICO 

Durante as épocas coloniais, foram levados para a Inglaterra de Terra Nova, grandes cães nas cores branco e preto. Devido às suas habilidades de natação, estes cães foram muito utilizados por pescadores auxiliando-os com as redes de pesca, foram conhecidos também por sua capacidade de ajudar as pessoas que estavam afogando.
Estes cães foram comprados e vendidos por muitos pescadores europeus. De acordo com os estudiosos da raça, a exportação desses cães ocorreu no final do século XVIII. Porém, alguns registros de pinturas mostram que estes cães já existiam na Inglaterra desde o início do século XVIII.
A origem do Landseer se priva à Alemanha e à Suíça. Países como Estados Unidos e alguns na Grã-Bretanha, consideram o Terra Nova e o Landseer como sendo a mesma raça, já em alguns países europeus, o Landseer é considerada uma raça totalmente distinta da raça Terra Nova.

País de Origem: Alemanha.

CABEÇA: O crânio deve ser livre de rugas, coberto por pelos curtos e finos. A cabeça deve ser notavelmente modelada, com expressão nobre.

 

  • REGIÃO CRANIANA

 

Crânio: Largo e maciço, com uma protuberância occipital bem desenvolvida.

 

Stop: Evidente, porém não tão pronunciado e íngreme quanto o do São Bernardo.

 

  • REGIÃO FACIAL

 

Trufa: Preta.

 

Focinho: O comprimento do focinho é igual a sua profundidade, medido à frente do stop.

 

Lábios: Secos, pretos; tão aderentes quanto possíveis e sem aspecto de “babão”, com o lábio superior sobrepondo-se ligeiramente ao inferior.

 

Maxilares e Dentes: Mordedura em tesoura.

 

Bochechas: Moderadamente desenvolvidas, afilando-se gradualmente em direção ao focinho.

 

Olhos: De tamanho médio, moderadamente profundos, da cor marrom ao marrom escuro, sendo o marrom claro tolerado; de expressão amigável, de forma amendoada, sem mostrar a terceira pálpebra. Olhos muito claros (cor amarelada ou amarelo acinzentado) são faltas, assim como olhos inseridos muito próximos.

 

Orelhas: De tamanho médio. Alcançando o canto interno do olhos, quando esticadas. De formato triangular, com pontas ligeiramente arredondadas. Inseridas altas na cabeça, mas não muito para trás. Portadas próximas e rentes às laterais da cabeça. São cobertas por pelos curtos e finos. Franjas de pelos longos são encontradas somente na parte posterior da base da orelha.

 

PESCOÇO: Musculoso e largo, não deve ser redondo, mas, preferencialmente de forma ovalada de perfil, simetricamente inserido e obliquamente colocado nos ombros. O comprimento do pescoço, do occipital até a cernelha, é de aproximadamente 3/4 a 4/5 do comprimento do occipital até a ponta da trufa. Barbelas pronunciadas são indesejáveis.

 

TRONCO: O comprimento medido da cernelha até a raiz da cauda deveria ser aproximadamente duas vezes o comprimento da cabeça. Largo e forte da cernelha até a garupa.

 

Dorso: Reto e nivelado.

 

Lombo: Musculoso.

 

Garupa: Larga, bem arredondada nas laterais e na parte posterior, com músculos poderosos.

 

Peito: Entre ombros bem musculosos, o peito é profundo e largo, correspondendo às costelas bem arqueadas.

 

Ventre: Ligeiramente esgalgado. Claramente visível uma depressão plana entre o ventre e o lombo. Dorso fraco ou selado, lombos fracos, falsas costelas muito curtas e o ventre muito retraído, são faltas.

 

CAUDA: Forte, alcançando no máximo, ligeiramente abaixo dos jarretes, bem coberta por pelos densos, fechados, porém sem plumas. A cauda deve ser pendente quando o cão está em “stay” ou em repouso, sendo tolerável uma ligeira curva na ponta. Quando em movimento, pode portar a cauda para cima, com apenas uma leve curva na ponta. Caudas com uma dobra ou enrolada sobre o dorso não as mais indesejáveis.

 

  • MEMBROS 

 

ANTERIORES: Os músculos fortes descendo dos ombros e cercando um úmero de boa ossatura, estão conectados à uma correta angulação com ossos maciços que, quando vistos de frente, são absolutamente retos e musculosos. Pernas ligeiramente franjadas até os metacarpos.

 

Cotovelos: Rentes ao corpo até o ponto mais baixo do peito; a distância do solo ao cotovelo é bastante alta; os cotovelos apontam diretamente para trás.

 

POSTERIORES: São completamente fortes. As pernas posteriores devem mover-se livremente; devem ter ossos fortes envolvidos por músculos poderosos. Posteriores moderadamente franjados.

 

Coxas: Especialmente largas.

 

Ergôs: São indesejáveis. Devem ser removidos o mais cedo possível, logo após o nascimento. Jarretes de vaca ou angulações insuficientes são faltas.

 

PATAS: Grandes, em forma de pés de gato. Patas achatadas ou viradas para fora são indesejáveis. Dedos unidos por membranas interdigitais, que devem ser fortes, quase alcançando a ponta dos dedos.

 

  • MOVIMENTAÇÃO: O movimento das musculosas pernas deve ser livre, de bom alcance, cobrindo bem o solo.

 

  • PELAGEM

 

Pelos: O pelo de cobertura - com exceção da cabeça - deve ser longo e o tão reto e denso quanto possível, macio ao toque, com bom subpelo, o qual não deve ser tão denso quanto no Terra Nova preto. Pelo ligeiramente ondulado no dorso e nos posteriores não é indesejável. Quando escovado de maneira errada, este deve retornar à posição correta naturalmente.

 

COR: A cor principal do pelo é o branco com manchas pretas distintas no tronco e na garupa. O colar, o antepeito, o ventre, as pernas e a cauda devem ser brancos. Cabeça preta com focinho branco e uma faixa branca simétrica, nem muito estreita, nem muito larga, que vai do focinho, sobre a cabeça até o colar branco, sendo considerado uma definitiva meta na criação. Pequenas áreas isoladas de pelos pretos em fundo branco não devem ser penalizados, mas devem ser eliminados da criação.

 

TAMANHO: Altura na cernelha: Machos: 72 – 80 cm Fêmeas: 67 – 72 cm Pequenas variações acima ou abaixo serão toleradas.


 

  • FALTAS 

Qualquer desvio em relação a este padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem estar do cão. 

FALTAS DESQUALIFICANTES

 

• Agressividade ou timidez excessiva.

• Todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.

• Cães atípicos.

Reconhecimento Internacional:

Entidade sem fins lucrativos

CNPJ 26.249.262/0001-88

centralotima.png
  • Grey Facebook Icon
  • Veja

Patrocinadores: