Mastiff Inglês

APARÊNCIA GERAL: A cabeça, em seu contorno geral, dá uma aparência quadrada, quando vista de qualquer ângulo. Uma boa largura é altamente desejada e a razão entre o comprimento de toda cabeça e a face é de 2:3. Corpo maciço, largo, profundo, longo, de construção poderosa, sobre pernas bem separadas e colocadas de forma quadrada. Músculos nitidamente definidos. O tamanho grande é desejado, mas somente se combinado com qualidade e se o equilíbrio absoluto é mantido. Altura e substância são dois pontos importantes quando proporcionalmente combinados. Grande, poderoso, um conjunto bem ajustado.
 

Personalidade: Calmo e afetuoso.
 

Nível de energia: Ativo.
 

Bom com crianças: Sim.

 

Bom com outros cães: Com supervisão.

 

Grooming: Sazonal.

 

Expectativa de vida: 10-12 anos.

Nível de latido: Late quando necessário.

  • RESUMO HISTÓRICO 

O Mastiff, talvez não exatamente na forma como nós o conhecemos hoje, tem estado conosco por muitas centenas de anos, e desempenhou o seu papel na história desde bem antes da Batalha de Agincourt, no início do século XV. Mesmo então o Mastiff era conhecido por sua coragem e instinto de guarda. Há registros de que quando os romanos invadiram a Grã-Bretanha encontraram um cão do tipo Mastiff já neste momento, e ficaram tão impressionados que levaram alguns de volta para lutar nas arenas de Roma. Quando os Normandos chegaram à Grã-Bretanha, o tipo Mastiff era tão comum que a palavra francesa “Dogue” encontrou o seu caminho para o idioma Inglês. A raça quase foi extinta na Grã-Bretanha após a Segunda Guerra Mundial. Linhagens foram então importadas, e desde essa época a composição numérica e de qualidade da raça tomou um grande crescimento. Combinando grandiosidade com boa natureza, ele é um cão extremamente grande em altura e circunferência, largo e profundo no corpo, cheio de substância, com grandes ossos fortes.

País de Origem: Grã-Bretanha.

COMPORTAMENTO E TEMPERAMENTO: Uma combinação de grandeza e coragem. Calmo, afetuoso com os donos, mas capaz de guardar. Normalmente indiferente com estranhos; timidez é inaceitável.

CABEÇA:

  • REGIÃO CRANIANA 
     

Crânio: Largo entre as orelhas, testa lisa, mas com rugas quando está em atenção. As sobrancelhas (arcadas superciliares) são ligeiramente proeminentes. O perfil do crânio é suavemente arqueado, com uma depressão central superior que se inicia na linha média entre os olhos e se estende até o meio da sutura sagital.

 

  • REGIÃO FACIAL

 

Trufa: Preta. Larga, com narinas bem abertas quando vistas de frente; achatada (nem pontuda, nem arrebitada), de perfil.

 

Focinho: Curto, largo abaixo dos olhos, mantendo, praticamente, a mesma largura até a ponta da trufa; truncado, isto é, abrupto e talhado quadrado, formando um ângulo reto com a linha superior da face; de grande profundidade da ponta da trufa até a mandíbula. O comprimento do focinho é igual a 1:3 do tamanho total da cabeça. A circunferência do focinho (medido à meia distância dos olhos à trufa) é igual a 3:5 do perímetro do crânio (medido antes das orelhas). Quando em repouso, qualquer exagero de rugas ou pele em excesso é inaceitável em cães maduros.

 

Lábios: Divergem, formando um ângulo obtuso com a linha superior do focinho, sendo ligeiramente pendentes, de maneira a apresentar um perfil quadrado.

 

Maxilares e Dentes: Mandíbula larga até o fim. Dentes caninos saudáveis, poderosos e bem separados. Incisivos nivelados (mordedura em pinça ou torquês, ponta com ponta) ou ligeiro prognatismo inferior (tesoura invertida), mas nunca tanto que os torne visíveis quando a boca está fechada.

 

Bochechas: Músculos das têmporas e bochechas (temporais e massetéricos) bem desenvolvidos.

 

Olhos: Tamanho moderado, bem afastados. De cor marrom avelã, sendo que, quanto mais escuros, melhor. Não devem mostrar a terceira pálpebra. Pálpebras soltas são altamente indesejáveis. Livres de óbvios problemas oculares.

 

Orelhas: Pequenas; finas ao toque, bem separadas, inseridas na parte mais alta das laterais do crânio, de modo a sugerir uma linha contínua de uma orelha à outra, passando pelo topo do crânio; quando em repouso, portadas dobradas e caídas rentes às faces.

 

PESCOÇO: Ligeiramente arqueado, moderadamente longo, bem musculoso e medindo, em circunferência, de 2,5 a 5 cm a menos que a medida do crânio tomada antes das orelhas. 

 

  • TRONCO

 

Linha superior: Nivelada.

 

Dorso: Largo e musculoso.

 

Lombo: Largo e musculoso; plano e muito largo nas fêmeas; ligeiramente arqueados nos machos.

Peito: Largo, profundo e bem descido entre os anteriores. Costelas arqueadas e bem redondas. Falsas costelas profundas e bem inseridas em direção ao quadril.

 

Linha inferior e ventre: Grande profundidade dos flancos.

 

CAUDA: Inserida alta, alcançando os jarretes ou um pouco abaixo deles; larga na raiz e afinando para a ponta; pendente reta em repouso, mas formando uma curva com a extremidade apontando para cima, porém, não sobre o dorso quando o cão está em ação.

 

  • MEMBROS

 

ANTERIORES: Balanceados e em harmonia com os posteriores.

 

Ombros: Ligeiramente inclinados, pesados e musculosos. Braços: Ligeiramente inclinados, pesados e musculosos.

 

Cotovelos: Retos.

 

Antebraços: Pernas retas, fortes e bem separadas, com grande ossatura.

 

Metacarpos: Jarretes verticais.

 

Patas: Grandes, redondas e apertadas. Dedos bem arqueados. Unhas pretas.

 

POSTERIORES: Largos, amplos e musculosos. Força nos posteriores é de suma importância; jarretes de vaca em adultos maduros são inaceitáveis. 

 

Pernas: Bem desenvolvidas.

 

Metatarsos: Jarretes angulados, bem separados e bastante aprumados tanto quando parado quanto em movimento.

 

Patas: Grandes, redondas e apertadas. Dedos bem arqueados. Unhas pretas.

 

  • MOVIMENTAÇÃO: Poderosa, com fácil alcance, impulsionada pelos posteriores, fluente, balanceada, passos com boa cobertura de solo. Linha superior mantida nivelada quando em movimento. Tendência para o passo de camelo é indesejável. Solidez absoluta é essencial.

 

  • PELAGEM

 

Pelo: Curto e assente, mas grosseiro sobre o pescoço e ombros.

 

COR: Abricó, fulvo ou tigrado. Em qualquer destes casos, o focinho, as orelhas e a trufa devem ser de cor preta, com pálpebras pretas, e estendendo-se para cima, entre elas. Branco excessivo no tronco, peito ou patas é inaceitável.
 

  • FALTAS 

Qualquer desvio em relação a este padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem estar do cão. 

FALTAS DESQUALIFICANTES

 

• Agressividade ou timidez excessiva.

• Todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.

• Cães atípicos.

Reconhecimento Internacional:

Entidade sem fins lucrativos

CNPJ 26.249.262/0001-88

centralotima.png
  • Grey Facebook Icon
  • Veja

Patrocinadores: