Pastor da Mantiqueira

  • RESUMO HISTÓRICO 
     

Com origens na Serra da Mantiqueira o cão Pastor da Mantiqueira, conhecido como Policialzinho (maneira preferida de ser chamado), vem agregar com grande ajuda o manejo com ovelhas e gados em especial, já que esta serra, muitas das vezes, possui um difícil acesso dificultando o trabalho do peão.

Esses cães surgiram ao longo do tempo de cruzamentos entre cães trazidos pelos imigrantes europeus, os Policiais, por isso também é conhecido de Policialzinho, e para conseguirem bons aliados na lida foram apurando a raça com cruzamentos somente entre os melhores de pastoreio, tendo assim cães rústicos, ágeis, resistentes e livres de doenças. Animais que não se enquadravam para o trabalho eram castrados e aproveitados para companhia e guarda de residências, assim devemos manter até os dias de hoje.    

 

País de Origem: Brasil.

APARÊNCIA GERAL: Bem proporcionado, de silhueta suave revelando qualidade, graça e perfeito equilíbrio, combinando com substância suficiente para conferir uma impressão de agilidade e resistência. Presença de rusticidade. Qualquer tendência à debilidade é indesejável.

COMPORTAMENTO E TEMPERAMENTO: Pastor de trabalho pesado, esperto, alerta, responsável, inteligente, corajoso, ágil, resistente e de bom senso de rebanho. 

 

CABEÇA
 

  • REGIÃO CRANIANA 
     

Crânio: Com largura mediana, occipital não pronunciado.

Stop: Bem marcado.

  • REGIÃO FACIAL

 

Focinho: Afinando triangular, moderadamente curto e robusto. Focinho ligeiramente menor do que o crânio.

Trufa: Narinas bem desenvolvidas preferencialmente de pigmentação preta em cães pretos e azulegos e o mais escuro possível em cães brancos, castanhos e suas variações, mas nunca admitindo a despigmentação total ou parcial.

Maxilares e Dentes: Fortes com uma mordedura em tesoura perfeita, regular e completa, isto é, os dentes superiores recobrem os inferiores e são inseridos ortogonalmente aos maxilares.

Olhos: Inseridos bem separados, de formato oval e tamanho médio; de cor preta ou marrom, expressão suave, esperta, alegre, alerta e inteligente.


Orelhas: De textura e tamanho médio, triangulares, inseridas separadas. Portadas eretas. Audição muito sensível.
 

PESCOÇO: De bom comprimento, robusto e musculado, levemente arqueados engrossando para os ombros.
 

  • TRONCO
     

Linha Superior: Bem definida.

Dorso: Longo, musculoso, reto e forte.
 

Cernelha: Alta e forte.

Lombo: Profundo e musculoso sem ser esgalgado.


Peito: Profundo.

CAUDA: Moderadamente longa, conferindo um gracioso contorno e equilíbrio ao cão. A cauda poderá erguer-se em estado de excitação, jamais portada sobre o dorso.

  • MEMBROS

 

ANTERIORES: Visto de frente, paralelos. Ossatura proporcional, forte sem ser pesada.

Ombros: Bem angulados.

 

Cotovelos: Trabalham ajustados rente e paralelo ao tórax.

Metacarpos:  Visto de perfil, metacarpos ligeiramente inclinados.
 

Patas: De formato oval, almofadas plantares e digitais espessas, robustas e saudáveis, dígitos bem arqueados e compactos. Unhas curtas e fortes.

 

POSTERIORES: Largos, musculados, vistos de perfil, a garupa é ligeiramente inclinada para a raiz da cauda.
 

Coxas: Longas, profundas e musculosas.

 

Joelhos: Bem angulados.

 

Jarretes: Curtos e robustos. Vistos por trás, os jarretes têm boa ossatura e são paralelos.

  • MOVIMENTAÇÃO: Fluente, suave e incansável, com um mínimo de elevação das patas, conferindo a impressão de habilidade para movimentação com grande propulsão e velocidade.
     

  • PELAGEM

Pelo: De comprimento variável, podendo ir de longa a curta, com pelagem Lisa ou crespa, em ambas, a pelagem é densa e de textura média, subpêlo macio e denso fornecendo boa proteção contra intempéries.

  • COR: A variedade de cores é permitida: Preto, o branco e a Azulega e suas graduações de cores, podendo ir do branco até o amarelo claro, permitindo também o vermelho e fulvo acarvoado e suas variações.
     

TAMANHO: Altura na cernelha em até: machos 53 cm; fêmeas, ligeiramente menores. (Podem ocorrer variações, desde que não prejudiquem o cão no trabalho).

 

PESO: Com peso ideal de máximo em 25 kg, para não comprometer a agilidade do animal.
                     

  • FALTAS 

Qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem estar do cão. 

• Qualquer desproporção, característica exagerada que possa interferir com a atividade física ou habilidade para o trabalho.
• Todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou comportamental deve ser desqualificado

  • NOTAS

 

• Os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos e acomodados na bolsa escrotal.

• Somente os cães clinicamente e funcionalmente saudáveis e com conformação típica da raça deveriam ser usados para a reprodução.

Reconhecimento Internacional:

Entidade sem fins lucrativos

CNPJ 26.249.262/0001-88

  • Grey Facebook Icon
  • Veja

Patrocinadores:

centralotima.png