Pug

APARÊNCIA GERAL: : Decididamente quadrado e robusto, ele é “multum in parvo” (muito em pouco, ou seja, cão compacto e atarracado), como mostra sua forma compacta, suas bem ajustadas proporções e sua musculatura rija, mas nunca deve apresentar patas curtas nem ser magro e pernalta.
 

Personalidade: Amável, companheiro e feliz.
 

Nível de energia: Moderadamente ativo. 
 

Bom com crianças: Sim.

 

Bom com outros cães: Com supervisão.

 

Grooming: Sazonal.

 

Expectativa de vida: 10-12 anos.

Nível de latido: Late quando necessário.

  • RESUMO HISTÓRICO 

Uma certa quantidade de especulação existia sobre a origem desta raça, que parecia ter vindo do Oriente. Seu país de origem é listado como a China, onde os cães de nariz (trufa) arrebitado sempre foram favorecidos. Ele encontrou o seu caminho para a Europa com os comerciantes da Companhia Holandesa das Índias Orientais e desde o ano de 1500 já eram admirados nos Países Baixos. Na verdade, o Pug se tornou o símbolo para os patriotas reais. O Pug chegou à Inglaterra quando Guilherme III subiu ao trono. Até 1877 a raça era vista apenas na cor fulvo, mas nesse ano um casal preto foi introduzido a partir do Oriente.

País de Origem: China.

COMPORTAMENTO E TEMPERAMENTO: De grande charme, dignidade e inteligência. Equilibrado, feliz e muito disposto.

CABEÇA: Relativamente larga e proporcional ao corpo, redonda, não em forma de maçã.

  • REGIÃO CRANIANA 
     

Crânio: Sem sulcos. Rugas na testa claramente definidas, mas sem exagero.

  • REGIÃO FACIAL

 

Trufa: Preta, com narinas razoavelmente grandes e bem abertas. Narinas apertadas e rugas sobre a trufa excessivamente pesadas são inaceitáveis e devem ser severamente penalizadas. Focinho: Relativamente curto, truncado, quadrado, não arrebitado. Olhos ou focinho nunca devem ser negativamente afetados ou encobertos por rugas excessivas sobre a trufa.

 

Maxilares e Dentes: Ligeiramente prognata inferior. Mandíbula larga com os incisivos quase em uma linha reta. Torção de mandíbula, dentes ou língua à mostra são altamente indesejáveis e devem ser severamente penalizados.

 

Olhos: Escuros, relativamente grandes, de formato redondo, expressão doce e afetuosa, muito brilhantes e quando o cão está excitado, cheios de fogo. Nunca salientes, exagerados ou mostrando o branco dos olhos quando olhando para a frente. Livre de problemas oculares óbvios.

 

Orelhas: Finas, pequenas, macias como veludo preto.

 

Há dois tipos:

 

1. Orelha em rosa: Pequena, caída, que se dobra para trás e descobre o pavilhão auditivo externo;

 

2. Orelha em botão: Caída para frente, a extremidade junto ao crânio, de maneira a cobrir o orifício da orelha. A preferência é dada à última.

 

PESCOÇO: Ligeiramente arqueado para se assemelhar a uma crista; forte, grosso, com suficiente comprimento para portar a cabeça orgulhosamente.

 

  • TRONCO: Curto e compacto.

 

Dorso: Linha superior plana; nem selada, nem carpeada.

 

Peito: Largo e com boas costelas. Costelas bem arqueadas e bem voltadas para trás.

 

CAUDA: Inserida alta, firmemente enrolada sobre o quadril. Enrolada duplamente é altamente desejável.

  • MEMBROS

 

ANTERIORES

 

Ombros: Bem inclinados.

 

Antebraços: Pernas muito fortes, retas, de comprimento moderado, bem colocadas debaixo do corpo.

 

Patas: Não tão compridas quanto os “pés de lebre” e nem tão redondas quanto os “pés de gato”; dedos bem separados; unhas pretas.

POSTERIORES

 

Aparência geral: Pernas muito fortes, de comprimento moderado, bem debaixo do corpo, retas e paralelas, quando vistas por trás.

 

Joelhos: Bem angulados.

 

Patas: Não tão compridas quanto os “pés de lebre” e nem tão redondas quanto os “pés de gato”; dedos bem separados; unhas pretas.

 

MOVIMENTAÇÃO: Vistas de frente, as pernas anteriores devem se movimentar bem debaixo dos ombros; as patas bem direcionadas para frente, não virando nem para dentro nem para fora. Vistas por trás, a ação deve ser igualmente correta. Usa os anteriores com grande força, colocando-os o mais à frente possível, com os posteriores se movendo livremente, fazendo um bom uso dos joelhos. Um ligeiro “roll” dos posteriores é típico dos seus movimentos. Capaz de movimento determinado e constante.

 

PELAGEM

 

Pelo: Fino, liso, macio, curto e brilhante, nem áspero, nem lanoso.

 

COR: Prata, abricó, fulvo ou preto. Cada uma claramente definida para fazer um completo contraste entre as cores, o traço (uma linha preta que se estende do occipital até a cauda) e a máscara. Marcas claramente definidas. O focinho ou máscara, orelhas, sinais nas bochechas, marca do polegar ou diamante na testa e o traço devem ser o mais preto possível.

 

PESO: Peso ideal: 6,3 kgs a 8,1 kgs. Deve ser forte e musculoso, mas substância não deve ser confundida com sobrepeso.
 

  • FALTAS 

Qualquer desvio em relação a este padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem estar do cão. 

FALTAS DESQUALIFICANTES

 

• Agressividade ou timidez excessiva.

• Todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.

• Cães atípicos.

Reconhecimento Internacional:

Entidade sem fins lucrativos

CNPJ 26.249.262/0001-88

  • Grey Facebook Icon
  • Veja

Patrocinadores:

centralotima.png