Rastreador Brasileiro

  • RESUMO HISTÓRICO 


Desenvolvido e criado na metade do século XX pelo gaúcho Oswaldo Aranha Filho, na época radicado no Estado do Rio de Janeiro, que iniciou a formação da raça com objetivo de desenvolver animais com características de caça, porte atlético, sendo resistente às intempéries e ao terreno, o Rastreador Brasileiro, como foi reconhecida a raça pela FCI, no ano de 1967, fora desenvolvida para caçar a onça e o porco do mato. Em 1973, a raça sofreu um duro golpe que cominou quase com a sua extinção. Antes de a raça ser considerada extinta, vários cães machos e fêmas foram doados a caçadores de algumas regiões do país, os animais remanescentes acasalaram de forma desordenada e sem registros, estes fatos apesar de isolados, contribuíram para que a raça RB se mantivesse viva, apesar de oficialmente ter sido declarada morta (extinta). Muito criado na área rural, o RB passou a ser um importante auxiliar do homem para a aquisição de proteína animal nos lugares mais remotos do Brasil, onde a caça para subsistência ainda é uma realidade, embora também tenha sido encontrado rastreadores em propriedade de médio e grande porte, sabe-se que os RB atuais no geral são produtos de heranças deixadas de pai para filhos e netos.

 

A raça foi resgatada em meados de 2008 por criadores liderados pelo Cinófilo Sergio Barral que organizou e fundou a SONARB - Sociedade Nacional do Rastreador Brasileiro que depois veio a ser uma sociedade de raças Brasileiras onde muitas raças da nossa pátria foram evidenciadas e obtiveram seus reconhecimentos e registros efetivados. O projeto de resgate do Rastreador Brasileiro foi seguido pelo Jorge Pereira, atual Presidente do ALKC e pelo Diego Paredes atual VP de Cães de trabalho, os acasalamentos e exemplares existentes foram mapeados e registrados e hoje a raça não está mais extinta e reconhecida pelo ALKC de forma Internacional e amplamente utilizada em várias vertentes da cinofilia. 
 

País de Origem: Brasil.

APARÊNCIA GERAL: Forte e rústico. Alegre, vivaz e não agressivo. Possui excelente olfato e capacidade venatória acima da média. É muito resistente e persistente, corre durante horas em mau terreno e com muito calor. Dócil e leal. Ótimo caçador. 

COMPORTAMENTO E TEMPERAMENTO: É tranquilo e equilibrado; apegado a seu dono e reservado com os estranhos, autoconfiante, intrépido e dócil, sem ser tímido nem agressivo.

 

CABEÇA
 

  • REGIÃO CRANIANA 
     

Crânio: Mesatocéfalo, triangular, um pouco alongado.

Stop: Pouco acentuado.

  • REGIÃO FACIAL

 

Focinho: De comprimento longo, bem estruturado.

Trufa: Escura, harmoniosa com a pelagem, sem jaspeaduras, com trufa nasal levemente voltada para baixo.

Maxilares e Dentes: Mordedura em tesoura, com dentição completa (42 dentes).

Olhos: Escuros, amendoados e muito vivos.


Orelhas: Longas, de inserção baixa caindo além da base do pescoço, moles e com as pontas arredondadas, o comprimento quando tracionada sem esforço deve ultrapassar o centro do focinho, sendo ideal as orelhas que atingem a lateral da trufa e indesejáveis as que ultrapassem a ponta da trufa.

Contornos: Ocular, nasal e labial devem apresentar coloração escura.
 

PESCOÇO: Forte e com leve barbela.
 

  • TRONCO
     

Linha Superior: Bem definida.

Dorso: Longo, musculoso, reto e forte.
 

Cernelha: Alta e forte.

Lombo: Largo e forte.


Peito: Tórax amplo e profundo para alojar coração e pulmões de bom tamanho.

AntepeitoO antepeito não se estende muito à frente da ponta do ombro. A traseira é larga, forte e firme.

CAUDA: Em forma de sabre, sem desviar-se para os lados. Trazida baixa quando em repouso e em bandeira quando atento ou em movimento.

  • MEMBROS

 

ANTERIORES:  

Ombros: Ombros com ossos extremamente fortes, paralelos.

 

Patas: Patas largas e potentes, com solas resistentes e elásticas, unhas escuras ou claras.

Braços: Compridos.
 

POSTERIORES: Musculosos e de boa angulação,

Pernas: Bem desenvolvidas.

 

Jarretes: Firmes, com angulações simétricas e moderadas

 

Patas: Patas largas e potentes, com solas resistentes e elásticas, unhas escuras ou claras.

  • MOVIMENTAÇÃO: deve ser fluente, com boa cobertura de solo, com passadas amplas e balanceadas. Ao trote pode erguer a cauda acima da linha do dorso.
     

  • PELAGEM

Pelo: Pelo raso, acamado, curto, denso e um pouco duro ao tato. 

  • COR: Azulino, fundo branco todo manchado de azul, os membros anteriores e posteriores podem ser manchados de castanho (semelhante ao Bluetick e ao Bleu de Gascogne); fundo branco com grandes manchas de uma ou duas cores, pretas ou castanhas (semelhante ao Foxhound Americano e ao Walkerhound); cabeça, dorso, lombo e cauda pretos, peito, ventre e parte externa dos membros pardos (semelhante ao Black and Tan Coonhound).
     

TAMANHO: Machos - altura máxima: 65cm /altura mínima: 60cm
                      Fêmeas - altura máxima: 63cm /altura mínima: 56 cm
                     

  • FALTAS 

Qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem estar do cão. 

• Qualquer desproporção, característica exagerada que possa interferir com a atividade física ou habilidade para o trabalho.

• Orelhas curtas ou em forma de borboleta

• Cauda enrolada
• Ossos muito leves
• Falta de vivacidade
• Stop pronunciado
• Prognatismo e enognatismo
• Todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou comportamental deve ser desqualificado

  • NOTAS

 

• Os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos e acomodados na bolsa escrotal.

• Somente os cães clinicamente e funcionalmente saudáveis e com conformação típica da raça deveriam ser usados para a reprodução.

Reconhecimento Internacional:

Entidade sem fins lucrativos

CNPJ 26.249.262/0001-88

  • Grey Facebook Icon
  • Veja

Patrocinadores:

centralotima.png