Soft Coated Wheaten Terrier

APARÊNCIA GERAL: De um cão forte, ativo, de acoplamento curto, bem construído, dando a idéia de potência, sem ser pernalta nem muito baixo.
 

Personalidade: Ativo, potente e leal.
 

Nível de energia: Muito Ativo. Este cão é ativo e enérgico, e precisa de exercícios diários. 
 

Bom com crianças: Sim.

 

Bom com outros cães: Com supervisão.

 

Grooming: Sazonal.

 

Expectativa de vida: 12-15 anos.

Nível de latido: Moderado.

  • RESUMO HISTÓRICO 

A história do Irish Soft Coated Wheaten Terrier foi, de certa forma, obscurecida pela sua proximidade com outros terriers irlandeses. O Wheaten é, provavelmente, a mais antiga das quatro raças. Essa raça possui aproximadamente 200 anos de existência que poderiam ter sido deduzidos de textos referentes aos cães “soft-coated”. A relação entre o moderno Irish Terrier e o Wheaten, embora menos documentada, parece ter sido resultante de deliberadas experiências na criação. Assim, o humilde Wheaten, provavelmente, teve seus ancestrais bastante mestiçados. Apesar da longa história do Wheaten, ele somente foi reconhecido pelo Irish Kennel Club em 1937. A raça cresceu continuamente em popularidade e atualmente é bem conhecida no mundo.

País de Origem: Irlanda.

COMPORTAMENTO E TEMPERAMENTO: Animado e excelente caçador. Bom temperamento. Muito afeiçoado e leal a seus donos. Muito inteligente. Amigo confiável e fiel; defende sem ser agressivo.

CABEÇA: Em geral, poderosa sem ser grosseira. Longa, em boa proporção com o corpo. Pelagem da mesma cor que o tronco.

 

  • REGIÃO CRANIANA

 

Crânio: Plano e bem contornado entre as orelhas; não muito largo.

 

Stop: Definido.

  • REGIÃO FACIAL

 

Trufa: Preta e bem desenvolvida.

 

Focinho: Não é mais longo que o crânio.

 

Maxilares: Fortes e proporcionados

 

Dentes: Grandes, regulares; mordedura em tesoura ou torquês, sem ser prognata superior ou inferior.

 

Bochechas: Ossatura não proeminente.

 

Olhos: Escuros, avelã escuros, não muito grandes, não proeminentes e bem inseridos.

 

Orelhas: Pequenas para médias, portadas para a frente, inseridas no nível do crânio. Permitido mancha escura na base das orelhas, acompanhada de um revestimento claro. Esta é a única parte do cão onde o subpelo é permitido. Orelhas em rosa ou de abano são indesejáveis.

 

PESCOÇO: Moderadamente longo e forte; sem barbelas.

 

  • TRONCO: Não muito longo. O comprimento da cernelha à raiz da cauda é aproximadamente o mesmo do solo à cernelha.

 

Dorso: Forte e nivelado.

 

Lombo: Curto, poderoso.

 

Peito: Profundo, costelas bem arqueadas.

 

CAUDA: Bem inserida, não muito grossa. Portada empinada, mas nunca sobre o dorso. Amputada em dois terços de seu comprimento total, assumindo que este é o equilíbrio proporcional do cão. A cauda não cortada é permitida.

 

  • MEMBROS

 

ANTERIORES: Aprumos perfeitamente retos, vistos de qualquer ângulo. Boa ossatura e musculatura.

Ombros: Finos; bem inclinados para trás; musculosos.

 

POSTERIORES: Bem desenvolvidos; com musculatura poderosa.

 

Coxas: Fortes e musculosas.

 

Joelhos: Angulados. 

 

Jarretes: Curtos e corretamente direcionados para a frente. Ergôs devem ser removidos.

 

Patas: Pequenas, não espalmadas. Unhas preferencialmente pretas, mas permitida a variação de cores escuras.

 

  • MOVIMENTAÇÃO: Observada na ida e na volta, os membros são corretamente direcionados para a frente. Cotovelos trabalhando ajustados rentes ao tórax. De perfil, a movimentação é fluente e suavemente coordenada.

 

  • PELAGEM

 

Pelo: Cão de pelagem simples. De textura macia e sedosa ao toque, sem ser áspera, exceto nos exemplares jovens. Permitido o trimming (tosa).

 

  1. Cães Tosados: Pelagem curta no pescoço, peito e crânio. Especialmente longa nas sobrancelhas e sob a mandíbula, deixando, preferivelmente, os bigodes. Franjas profusas nos membros. No tronco, a tosa acompanha o contorno do cão, sem ser esculpido. Cauda tosada curta e nitidamente afilada.
     

  2. Cães sem tosa: A pelagem, em seu maior comprimento, não ultrapassa os 12,7cm. Macia, ondulada ou pouco encaracolada, com o brilho da seda. Em circunstância alguma a pelagem pode formar “plumagem”, como no Poodle ou no Old English Sheepdog. Cães apresentados nessas condições devem ser severamente penalizados, por dar uma falsa impressão do tipo e da raça. Deve ser dada atenção especial ao desenvolvimento da pelagem nos filhotes. Os filhotes raramente nascem com a pelagem correta da maturidade; ao avaliar esse item, deve-se tomar muito cuidado. Eles passam por numerosas mudanças de cor e textura antes de desenvolver o pelo do estágio adulto. Isso normalmente acontece entre 18 meses e 2 anos e meio.
     

  3. Filhotes: Raramente nascem com a cor e a textura típicas da pelagem. Eles vêm avermelhados, acinzentados e, algumas vezes, trigo claro. As máscaras são, geralmente, pretas. Por vezes apresentam uma faixa escura no dorso ou pontos escuros na pelagem do corpo. Essas marcas escuras clareiam com o crescimento.

 

  • COR: Qualquer coloração do trigo claro até as tonalidades do dourado avermelhado.

 

TAMANHO: Altura na cernelha: Machos: 46 a 48 cm. Fêmeas: um pouco menores. 

 

PESO: Machos: 18 a 20,5 kg. Fêmeas: um pouco menos.


 

  • FALTAS 

Qualquer desvio em relação a este padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem estar do cão. 

FALTAS DESQUALIFICANTES

 

• Agressividade ou timidez excessiva.

• Todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.

• Cães atípicos.

Reconhecimento Internacional:

Entidade sem fins lucrativos

CNPJ 26.249.262/0001-88

  • Grey Facebook Icon
  • Veja

Patrocinadores:

centralotima.png