Terrier Negro Russo

APARÊNCIA GERAL: Os Terriers Pretos da Rússia são cães grandes, com um corpo ligeiramente longo e com uma constituição muito atlética, de um tipo robusto e estrutura resistente. A raça tem qualidades como ossatura maciça e musculatura poderosa. É simétrico, com uma cabeça larga e um corpo compacto, com um peito volumoso e profundo. Diferenças entre os sexos devem ser claramente definidas.
 

Personalidade: Digno e confiante.
 

Nível de energia: Muito Ativo. Este cão é ativo e enérgico, e precisa de exercícios diários. 
 

Bom com crianças: Sim.

 

Bom com outros cães: Com supervisão.

 

Grooming: Sazonal.

 

Expectativa de vida: 10-11 anos.

Nível de latido: Late quando necessário.

  • RESUMO HISTÓRICO 
     

O Terrier Preto da Rússia foi criado na Rússia durante o final da década de 1940 e início dos anos 1950 através de cruzamentos seletivos de raças como o Rottweiler, Schnauzer Gigante, Airedale Terrier e Terra Nova. O Schnauzer Gigante é considerado o principal ancestral da raça. A criação inicial foi supervisionada pela escola militar cinológica fora de Moscou e os cães foram manejados em seu canil chamado "Estrela Vermelha". O objetivo dos criadores da raça foi o desenvolvimento de um cão de trabalho grande, corajoso, forte e controlável, com pronunciado instinto de guarda; um cão que pudesse ser útil para muitos serviços e que se adaptasse bem às diferentes condições climáticas.

País de Origem: Rússia.

COMPORTAMENTO E TEMPERAMENTO: Um cão digno e confiante; bem controlado em todas as situações. Quando circunstâncias requerem, ele imediatamente assume uma postura com atitude defensiva, entretanto, rapidamente se acalma com o desaparecimento da ameaça. Esta elegante raça é amável e tem grande resistência; é pouco exigente, inteligente e amigável. Adapta-se bem ao treinamento e às condições climáticas variáveis; é confiável e trabalha duro.
 

CABEÇA:

 

  • REGIÃO CRANIANA: A cabeça deve ser em proporção ao corpo, embora grande, maciça e longa. 

 

Crânio: Moderadamente amplo, com a testa plana. As linhas superiores do crânio e do focinho devem ser paralelas. As arcadas superciliares e o osso occipital são moderadamente pronunciados.

 

Stop: Perceptível, mas não nítido.

 

  • REGIÃO FACIAL

 

Trufa: Larga e preta.

 

Focinho: Forte, largo e ligeiramente mais curto que o crânio. O focinho é largo na base e afinando ligeiramente para a ponta da trufa. O bigode e a barba acentuam o volume e conferem ao focinho uma aparência retangular e rombuda.

 

Lábios: Grossos, bem pigmentados e apertados. Rimas labiais escuras.

 

Maxilares e Dentes: Grandes; dentes brancos que são bem próximos entre si, com os incisivos inferiores posicionados em uma linha. Dentição completa (42 dentes). Mordedura em tesoura.

 

Bochechas: Ossos das bochechas secos, com bochechas arredondadas, mas não proeminentes.

 

Olhos: De tamanho médio, formato oval, inseridos em linha reta e bem separados, de cor escura. Pálpebras secas, ajustadas e pretas.

 

Orelhas: Pendentes. Inserção alta e simétrica, de tamanho médio, formato triangular. Bordo anterior próximo às bochechas. O couro das orelhas é denso, sem dobras.

 

PESCOÇO: Forte, seco e musculoso. O comprimento do pescoço é aproximadamente igual ao comprimento da cabeça e inserido a um ângulo de 45-50º com a horizontal. A nuca é forte e bem desenvolvida.

 

TRONCO: Sólido, profundo e volumoso, bem balanceado.

 

Linha superior: ligeiramente descendente da cernelha para a raiz da cauda.

 

Cernelha: Alta e bem desenvolvida; mais pronunciada em machos que em fêmeas.

 

Dorso: Forte, reto e musculoso. O comprimento real do dorso é igual à metade do comprimento medido da cernelha à raiz da cauda.

 

Lombo: Largo, curto, musculoso e ligeiramente arqueado. O comprimento é igual à metade do comprimento real do dorso.

 

Garupa: Ampla, musculosa, ligeiramente inclinada e de comprimento moderado.

 

Peito: Profundo, longo e amplo, com costelas ligeiramente arqueadas. O formato do tórax (em secção transversal) é oval. O osso do peito (esterno) é longo e o antepeito ultrapassa ligeiramente a articulação do cotovelo e é bem musculoso.

 

Linha inferior e ventre: Na mesma linha da articulação do cotovelo ou ligeiramente abaixo. Ventre moderadamente esgalgado. Flancos apenas ligeiramente desenvolvidos.

 

CAUDA: Grossa na raiz e de inserção alta. Em movimento, a cauda é portada alegremente, mas com a raiz da cauda não inclinada sobre o dorso (cauda de esquilo). Cauda tradicionalmente amputada no país de origem. Cauda não amputada de diferentes comprimentos ou formatos não tem nenhuma influência sobre a avaliação do cão. O formato preferível da cauda não amputada é em sabre ou foice.

 

  • MEMBROS

 

ANTERIORES: Quando vistos de frente os membros anteriores são retos e paralelos. A distância do cotovelo (ulna) ao solo é igual a 50-52% da altura do cão na cernelha.

 

Ombros: Longos, largos e bem voltados para trás. O ângulo entre a escápula e o braço é de aproximadamente 100º.

 

Braços: Musculosos e não menores que as escápulas.

 

Cotovelos: Próximos ao tronco.

 

Antebraços: Retos, espessos, ossos redondos. Verticais, quando vistos de frente e de perfil.

 

Metacarpos: Curtos, maciços e ligeiramente inclinados quando vistos de perfil.

 

Patas: Largas, compactas e de formato redondo. Unhas e almofadas são pretas.

 

POSTERIORES: Quando vistos por trás são retos e paralelos, posicionados mais separados que os anteriores. Quando vistos de perfil, são colocados ligeiramente atrás do cão.

 

Coxas: Moderadamente longas, ligeiramente inclinadas, largas e bem desenvolvidas, músculos volumosos.

 

Joelhos: Bem angulados.

 

Pernas: Não menores que as coxas.

 

Metatarsos: Fortes, curtos e verticalmente posicionados. Sem ergôs.

 

Patas: Ligeiramente menores que as anteriores e tendendo ao formato ovalado. Unhas e coxins são pretos.

 

  • MOVIMENTAÇÃO: Livre e bem balanceada, com articulações suavemente flexionadas. A movimentação típica é um trote enérgico, com passos longos, advindos da forte propulsão dos posteriores e do significativo alcance dos anteriores. A linha superior deve permanecer firme.

 

PELE: Ajustada, bem assentada, sem rugas ou pele solta, ainda que elástica. Uniformemente pigmentada.

 

  • PELAGEM

 

Pelo: Áspero e com densa pelagem dupla. Composto de um revestimento exterior áspero, grosso e levemente ondulado e com um subpelo macio, curto e denso. O revestimento exterior cobre todo o corpo. O comprimento do pelo natural e não trimado está entre 5-15 cm. A cobertura da cabeça é muito bem desenvolvida e forma abundantes sobrancelhas, bigodes e barba. As pernas são cobertas por uma pelagem de revestimento longa e densa. Higiene na forma correta é necessário. A pelagem aparada deve enfatizar o caráter de um cão forte e seguro, mas, de modo algum, ser excessivamente decorativa. A pelagem é deixada mais longa nas pernas e ao redor do focinho. A tosa deve acentuar a cabeça maciça e com testa plana, as orelhas bem colocadas, o pescoço forte e bem construído e o forte corpo.

 

COR: Preto, preto com pelos cinza insignificantemente entremeados é permitido. (O pelo cinza entremeado não deve cobrir mais que um terço de todo o corpo).

TAMANHO E PESO: Altura desejável na cernelha: Machos: 72 – 76 cm, mas não menores que 70 cm ou maiores que 78 cm. Fêmeas: 68 – 72 cm, mas não menores que 66 cm ou maiores que 74 cm. 7 Exemplares ligeiramente mais altos são tolerados, desde que sejam proporcionais e com um tipo racial excelente. Peso: Machos: 50 – 60 kg. Fêmeas: 45 – 50 kg

  • FALTAS 

Qualquer desvio em relação a este padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem estar do cão. 

FALTAS DESQUALIFICANTES

 

• Agressividade ou timidez excessiva.

• Todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.

• Cães atípicos.

Reconhecimento Internacional:

Entidade sem fins lucrativos

CNPJ 26.249.262/0001-88

  • Grey Facebook Icon
  • Veja

Patrocinadores:

centralotima.png