Collie Pelo Curto

  • RESUMO HISTÓRICO:

Acredita-se que a raça tenha se originado de um antigo cão de pastoreio e de guarda utilizado pelos romanos em seus rebanhos. O mais provável é que eles tenham se originado a partir de cruzamentos de Greyhounds, Gordon Setters e Setter Irlandeses. A sua origem remonta às Ilhas Britânicas, onde atingiu seu apogeu a partir de 1800. Naquela época, a criação da raça apresentou grande crescimento, inclusive com a venda de exemplares para outros países.

 

País de Origem: Grã-Gretanha

 

APARÊNCIA GERAL: Apresenta-se como dotado de inteligência, em estado de alerta e atividade. Porta-se com dignidade, guarnecido de perfeita formação anatômica, sem qualquer das regiões fora de proporção, passando a impressão de capacidade para o trabalho. A estrutura física mantém a linha da potência e atividade, ausência de rusticidade e sem qualquer traço grosseiro. A expressão é o mais importante. E em se considerando valores relativos, esta é obtida pelo perfeito equilíbrio e combinação entre o crânio e o focinho, pelo tamanho e forma, cor e inserção dos olhos e correto posicionamento e porte das orelhas.

PROPORÇÕES IMPORTANTES: Visto de perfil, as linhas superiores do crânio e do focinho são duas paralelas, linhas retas de igual tamanho, separadas por um ligeiro, mas perceptível, “stop” ou desvio. Tronco ligeiramente mais longo comparado com a altura.

COMPORTAMENTO E TEMPERAMENTO: Alegre e amigável, jamais nervoso ou agressivo.

CABEÇA: As características proporcionais da cabeça são da maior importância e devem ser consideradas em proporção ao tamanho do cão. Vista de frente ou de perfil, a cabeça apresenta uma figura cuneiforme, limpa, com limites bem definidos por um contorno suave. No ponto médio entre os cantos proximais dos olhos (que é o centro de um “stop” bem posicionado), está o centro de equilíbrio em comprimento da cabeça

  • REGIÃO CRANIANA

 

Crânio: Plano. As laterais das faces convergem gradual e suavemente das orelhas à ponta da trufa. A profundidade do crânio, do supercílio até a linha inferior do maxilar, jamais poderá ser excessiva (profunda demais).

 

Stop: Ligeiro, mas perceptível. O ponto médio entre os cantos proximais dos olhos é o centro de um “stop” corretamente posicionado.

 

  • REGIÃO FACIAL

Trufa: Sempre preta.

Focinho: Terminação suave; focinho bem arredondado e truncado, nunca quadrado. Focinho não pontiagudo.

Maxilares e Dentes: Dentes de bom tamanho. Maxilares fortes, com uma perfeita, regular e completa mordedura em tesoura (isto é, os dentes superiores recobrem os dentes inferiores e são inseridos ortogonalmente aos maxilares). Mandíbula forte e bem definida.

Olhos: Característica muito importante, conferindo sua expressão doce. De tamanho médio (nunca muito pequenos), de inserção suavemente oblíqua, de formato amendoado e de cor marrom escuro, exceto no caso dos exemplares azul-merle, nos quais os olhos são frequentemente (um ou ambos, ou parte de um ou de ambos) azuis ou manchados de azul. Expressão repleta de inteligência, com olhar rápido e alerta quando em atenção.

Orelhas: Moderadamente grandes, mais largas na base e inseridas não muito próximas uma da outra nem das laterais da cabeça. Em repouso, portadas para trás, mas, em alerta, direcionadas para frente e portadas semi-eretas, ou seja, com aproximadamente dois terços da orelha eretas; o terço final, naturalmente caído para frente, abaixo da horizontal.

PESCOÇO: Musculoso, poderoso, de bom comprimento e bem arqueado.

  • TRONCO

Dorso: Nivelado e firme.

Lombo: Com ligeira elevação.

 

Peito: Peito profundo e razoavelmente amplo atrás dos ombros. Costelas bem arqueadas.

CAUDA: Longa, com o osso (última vértebra) alcançando, no mínimo, a articulação do jarrete. Em repouso, portada baixa, com uma ligeira curva para cima na ponta. Pode ser portada alegremente (alta) quando excitado, mas nunca sobre o dorso.

 

  • MEMBROS

 

ANTERIORES: Retos e musculosos, com ossatura moderada.

 

Ombros: Inclinados e bem angulados.

Cotovelos: Não virados nem para dentro nem para fora.

Metacarpos: Apresentando flexibilidade sem indícios de fraqueza

 

Patas: Ovais, com almofadas (coxins) bem acolchoadas. Dedos arqueados e bem fechados.

 

POSTERIORES

Joelhos: Bem angulados.

 

Metatarsos: Bem descidos e poderosos.

 

Patas: Ovais, com almofadas (coxins) bem acolchoadas. Dedos arqueados e bem fechados entre si. Patas traseiras ligeiramente menos arqueadas

MOVIMENTAÇÃO: : É uma característica particular da raça. Um cão balanceado jamais expulsa os cotovelos, ainda que se movimente com as patas anteriores relativamente próximas. Trançar o passo, cruzar ou fazer o “roll” (andar bamboleante) é altamente indesejável. Vistos por trás, os posteriores, da articulação do jarrete ao solo, são paralelos. Posteriores poderosos e com muita impulsão. Vista de perfil, a movimentação é suave. É desejável uma passada longa, devendo ser leve e parecer quase sem esforço.

 

  • PELAGEM

 

Pelo: : Curta, plana, pelos da cobertura de textura áspera, com subpelos densos. Não deve ser tosada ou aparada.

 

  • COR

 

Três cores são reconhecidas: 
 

  1. “Sable” (Zibelina): Qualquer nuança, desde o dourado claro ao mogno escuro ou “sable” sombreado. As cores palha claro ou creme são altamente indesejáveis.
     

  2. Tricolor: Predominantemente preto com marcas castanho bem saturadas nos membros e na cabeça. Um matiz ferrugem no pelo de cobertura é altamente indesejável.
     

  3. Azul-Merle: Predominantemente claro, azul prateado, salpicado e marmorizado com preto. Marcações em castanho intenso são preferidas, mas sua ausência não deve ser penalizada. Grandes manchas pretas, cor de ardósia ou matiz ferrugem no pelo de cobertura no pelo ou no subpelo são altamente indesejáveis.

 

Todas as cores acima mencionadas podem apresentar marcações brancas típicas do Collie em maior ou menor grau. As seguintes marcações são favoráveis: colar branco, completo ou parte dele; antepeito, pernas e patas brancas; ponta da cauda branca. Uma marca branca pode aparecer no focinho, no crânio ou em ambos. Todo branco ou predominantemente branco é altamente indesejável.

TAMANHO: Machos: 56 a 61 cm.

                      Fêmeas: 51 a 56 cm.

  • FALTAS 

 

Qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem estar do cão e em sua habilidade para executar seu trabalho tradicional.

 

  • FALTAS DESQUALIFICANTES
     

• Agressividade ou timidez excessiva.

• Todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.

  • NOTAS

 

• Os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos e acomodados na bolsa escrotal.

• Somente os cães clinicamente e funcionalmente saudáveis e com conformação típica da raça deveriam ser usados para a reprodução.

Reconhecimento Internacional:

Entidade sem fins lucrativos

CNPJ 26.249.262/0001-88

  • Grey Facebook Icon
  • Veja

Patrocinadores:

centralotima.png